Ministério Internacional de Mães Unidas em Oração

Ministério Internacional de Mães Unidas em Oração
O Ministério Moms In Prayer International, anteriormente conhecido como Moms In Touch / Mães em Contato, chama-se, atualmente, Mães Unidas em Oração no Brasil. Começou em 1984, em Bristish Columbia, Canadá com Fern Nichols. Atualmente o Ministério está em quase 150 países. É um ministério de oração em favor dos nossos filhos (biológicos, adotivos e espirituais), os colegas deles, suas escolas, professores e diretores para que sejam guiados por altos valores bíblicos e morais e, assim, cobrir todas as escolas do mundo com uma rede de proteção espiritual através da oração. A base do Ministério são as escolas de nossos filhos. (Educação Infantil até a Universidade)

sábado, 26 de fevereiro de 2011

SOBREVIVEMOS A UM TSUNAMI!

Prezada irmã Jane Esther,

Estou enviando este e-mail para agradecer, em primeiro lugar, a Deus, por tudo que Ele me fez viver nestes últimos 90 dias. A irmã que foi a peça chave na transformação ocorrida em minha vida e, também, de minha família. A irmã não faz idéia do que vou narrar agora. Faço-o, na certeza e esperança de que será bênção na vida de muitas outras Mães. Eu creio no Poder da Oração!

Meu esposo é funcionário Público Federal e eu sou professora do ensino médio. Temos quatro filhos: duas meninas, uma com 24 anos, casada, mãe de uma filha de 2 anos. Na época em que tudo aconteceu, estava grávida de 1 mês; a outra, com 20 anos, dois meninos de 22 e 18 anos, respectivamente. Residimos em Brasília há 22 anos e pertencemos a Igreja Batista daqui. Sempre  tivemos, como prioridade, criar nossos filhos nos caminhos do Senhor, dando todo apoio possível! Meus filhos são integrados na igreja. Cada um participa de uma atividade diferente. Todos são ativos na obra do Senhor.

Conheci o “Ministério de Mães em Contato” há três anos, através de minha irmã que pertence a Igreja Cristã Nova Vida, no Rio de Janeiro. Logo, procurei me informar a respeito do Ministério e hoje, lidero dois grupos. Deus tem feito maravilhas em nossas vidas!
Mesmo exercendo o magistério e com o tempo bem apertado, nunca dispensei nossa hora semanal de oração de “Mães em Contato”. Meus filhos estão na “Rede Mundial de Oração” e, semana após semana, são motivos de intercessão, juntamente com os filhos das demais companheiras de oração. Meus filhos sempre foram  estudiosos, educados, obedientes, enfim, um presente de Deus. Nada é mais importante do que colocarmos a vidas de nossos filhos no altar do Senhor

Minha irmã Jane Esther, a narrativa é extensa. Tentarei ser o mais precisa possível.

“No mês de janeiro de 2010, minha família passou por momentos muito tristes, momento de muita turbulência.

Era sábado. Meu filho de 21 anos saiu com o irmão mais novo para comemorar. Ele havia passado no vestibular de medicina. Além deles, três outros colegas da igreja foram juntos a um local onde, volta e meia, iam.

Estávamos em casa e já passava da meia-noite. E eles não chegavam. Começamos a ficar preocupados. Meu esposo não sabia que atitude tomar. Quando o relógio marcou uma hora e vinte minutos da madrugada, recebemos um telefonema de uma das mães de um dos colegas de nossos filhos. Ela faz parte do nosso “Grupo de Mães em Contato”. Estava no hospital e nos disse, rapidamente, o que ocorrera. Saímos em disparada e, quando lá chegamos, soubemos do que realmente tinha acontecido. Na volta para casa, depois da comemoração, um carro, em alta velocidade, cujo motorista estava bêbado, bateu em cheio no carro onde meus filhos estavam. Os colegas e meu filho caçula sofreram algumas fraturas e escoriações. Um quebrou o braço.  Outro quebrou a perna. Meu caçula quebrou o nariz. O caso mais grave foi o do meu filho de 21 anos.
Ele sofreu muitos ferimentos. Tinha ficado preso nas ferragens e teve traumatismo em várias partes do corpo.

Alí começou a nossa luta. Nosso filho já estava no centro cirúrgico. Meu esposo foi tomar algumas providências necessárias. Enquanto isso eu e minha amiga fomos para a capela do hospital e começamos a clamar a Deus pela vida de meu filho!  Como clamamos...

 Depois de 23 dias em coma, ele voltou a vida. Ficamos sabendo que ele estava com as pernas paralisadas, mas, não tínhamos coragem de contar para ele. Nesse período, minhas companheiras de oração de “Mães em Contato” não cessavam de orar por ele, juntamente com centenas de outras pessoas que o amavam.
Após o impacto, ele foi transferido para o quarto e, ali, soube que estava com as pernas paralisadas devido ao traumatismo em sua coluna. Ficou no hospital ainda por mais 32 dias. 

No início, ele não aceitava, de forma alguma, ficar, pelo resto da vida, em uma cadeira de rodas. O tempo foi passando. Ele recebeu alta. Foi para casa. Tentamos dar todo o apoio possível. O médico disse que, talvez ele voltasse a andar. Mas, só o tempo diria. Ele ficou indo no Hospital de Reabilitação Sarah Kubitschek aqui em Brasília, para fazer todos os tipos de tratamento possível. Ele queria nadar....

Nesse ínterim, minha filha que estava grávida, começou a ter problemas com pressão alta. Ela fazia acompanhamento constante com a ginecologista, pois precisava de cuidados.

No início do mês de junho, dia 14, recebi um telefonema de minha irmã do Rio de Janeiro, dizendo que minha mãe tinha sofrido um infarto e estava no hospital, muito mal. Deixei meu esposo e meus outros filhos e fui ao Rio visitá-la e dar apoio a meus irmãos e meu pai. Somos cinco irmãos. Durante o tempo que fiquei com minha mãe, clamava a Deus por minha família pedindo  que Ele me concedesse a graça de vê-los bem. Minha mãe foi melhorando e seu quadro estabilizou. Ficou no hospital por mais alguns dias.

Enquanto isso, meu esposo levava meu filho para fazer tratamento. Algumas irmãs Mães em Contato davam suporte à minha filha grávida, agora com 6 meses. 

Meu filho estava muito deprimido. Devido ao acidente, teve que trancar a Faculdade e isso o deixou muito deprimido. Tentei voltar para Brasília no dia 21 de junho, mas só achei passagem para o dia 22.


No Rio de Janeiro, minha irmã me convidou para ir à Igreja Cristã Nova Vida, na Zona Oeste,  para participar de um Culto para mulheres. Eu fui. Foi um culto maravilhoso. Minha alma estava angustiada. Eu estava profundamente triste. Era como se um tsunami tivesse passando sobre minha família.

Estava acompanhando o trabalho da irmã através da Visão Missionária e desejava muito conhecê-la. Deus reservou aquela oportunidade. Uma segunda-feira, 21 de junho de 2010! A irmã disse, na ocasião, que Jesus queria que confiássemos n’Ele. Que fizéssemos prova d’Ele.
  
Que através da fé, coragem e perseverança, alcançaríamos a vitória. Foi uma mensagem rica, edificante. A irmã pediu para que, quem quisesse colocar seus fardos sobre a cruz, fosse à frente.

A igreja estava repleta. Creio que tinha cerca de 350 mulheres. Muitas foram à frente chorando, inclusive eu. A irmã pediu que todas as mulheres que estavam sentadas, viessem à frente e, abraçasse cada uma, a pessoa mais próxima.  Então, a irmã desceu do púlpito, e começou a tocar em cada uma. De repente, a irmã estava perto de mim. Eu estava chorando. Lembro-me, como se fosse hoje, das suas palavras: “não precisa chorar. Creia somente! A irmã vai alcançar a vitória! Tenha fé, coragem e perseverança. Não esmoreça! Nosso Deus é o Deus  das coisas impossíveis! Ele é tremendo!” A irmã falava com autoridade e seu rosto brilhava! Suas palavras entraram em meu coração como uma flecha. Eu tinha certeza que Deus iria operar um milagre! Ao sair de perto de mim, a irmã voltou para o púlpito, e começou a cantar: “Vou levar meus problemas pra Deus. Entregar meus problemas pra Deus. Abençoar minha família, minha casa, meus irmãos, pois, eu creio no poder da oração...”

Naquela noite não dormi, tal foi a emoção de participar daquele culto. Deus falou ao meu coração de uma maneira singular! Eu deveria confiar. Deveria  crer que Ele iria fazer uma grande obra!

No dia seguinte, 22 de junho, embarquei para Brasília totalmente focada na certeza de que meus filhos seriam vitoriosos! Quando cheguei, minha filha foi hospitalizada com ameaço de eclampse. Ficou 11 dias no hospital e, ao ter alta foi para minha casa, com seu esposo e minha netinha de 2 anos.  Continuávamos, eu e minhas companheiras de oração, clamando ao Senhor, na certeza da vitória!

Meu filho continuava fazendo todo o tratamento. Ele tinha esperança de andar. Agora, eu tinha certeza que ele voltaria a andar.

No dia 21 de agosto, minha filha não tinha mais condições de prosseguir na gravidez. Seu estado se agravou e, tanto ela quando o bebê, poderiam não resistir. Teve que submeter-se a uma cesariana. Quanta dor! Quanta angústia! Quanto sofrimento! Continuávamos clamando ao Senhor! Nasceu minha segunda neta, perfeita, sadia. Minha filha passou pelo vale da sombra da morte, mas, graças a Deus, recebeu a vitória, permanecendo com da vida.  Treze dias depois, estava entrando em nossa casa, com sua filhinha no colo. Prezada irmã Jane Esther, não tenho como, nesse e-mail, descrever nossa alegria. É inenarrável!

No dia 23 de setembro, meu filho voltou a dar os primeiros passos, usando as muletas, saindo da cadeira de rodas. Sua coluna já estava sendo restabelecida. Segundo os médicos, ele voltará a andar... Glória a Deus! Ano que vem ele deverá voltar a faculdade e terminar seu Curso de Fisioterapia!

Ah! Irmã Jane Esther. Muitas vezes pensamos que tudo esta bem com a gente. Que esta tudo sob controle e que nada vai acontecer. E, de repente, tudo se transforma! Muito obrigada pelo dia 21 de junho de 2010! Jamais me esquecerei de suas palavras: “Fé, Coragem, Perseverança!”

Que Deus abençoe a irmã!”
  Jeanette Mara Campos de Moraes – Brasília, DF

(Este testemunho foi publicado com autorização expressa da mãe em Contato. Os nomes são omitidos para preservar o sigilo dos filhos.)

VAMOS ATÉ BELÉM!

 “E logo que os anjos se retiraram deles para o céu, diziam os pastores uns aos outros: Vamos já até Belém, e vejamos isso que aconteceu e que o Senhor nos deu a conhecer. Foram, pois, a toda a pressa, e acharam Maria e José, e o menino deitado na manjedoura.” (Lucas 2.15-16)

Dezembro é o mês em que se convencionou comemorar o nascimento de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo. O conhecidíssimo autor do “Dicionário Bíblico de Davis” – John Davis – num longo artigo sobre o nascimento, vida, ministério, morte e ressurreição de Jesus Cristo diz: “Concluímos, pois, como mais provável, que as datas principais da vida de Cristo, são: Nascimento, a 25 de dezembro do ano 5 A. C.; Batismo, e o princípio de seu ministério em janeiro do ano 27 A. D. e a sua morte, a 7 de abril do ano  30.” Então, entre os povos adeptos do Cristianismo, o nascimento de Jesus Cristo é celebrado em 25 de dezembro. É o que estamos fazendo, mais uma vez, em dezembro de 2010.

O título desse artiguete – “Vamos até Belém”, incentiva-nos a tomar a mesma decisão que os pastores tomaram, após terem contemplado uma das mais belas cenas que olhos humanos já viram: A visita dos anjos celestiais, anunciando que Jesus acabara de nascer em Belém da Judéia, e a audição de um numeroso coral celestial cantando “Glória a Deus nas maiores alturas, e paz na terra entre os homens de boa vontade”.

Essa decisão dos pastores é a mesma que todas devemos tomar durante todos os dias de nossa vida, pois, em Belém da Judéia, temos o nosso primeiro contato humano com Aquele a quem Deus enviou à terra para materializar o seu objetivo de salvar a todos os que desejem estar no céu, finda a jornada terrena: “Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.” Ao ir até Belém, constatamos o cumprimento dasprofecias sobre a vinda do Messias, aquele que esmagaria a cabeça da serpente (Gn 3.15); vemos o Profeta semelhante a Moisés (Dt 18.15); vemos a Criança maravilhosa (Is 9.6); contemplamos o Lírio dos Vales e a Rosa de Saron (Ct 2.1), conhecemos o Servo Sofredor (Is 53), vemos o Verbo que se fez carne, e habitou entre nós, cheio de graça e de verdade (Jo 1.14). Vemos Aquele que morreu, ressuscitou e voltou ao céu, de onde retornará em glória, para concluir a tarefa salvadora que Deus, o Pai, lhe confiou realizar.  

Jesus Cristo... Aquele que tem o poder! Aquele que opera maravilhas! Aquele que através da nossa Fé nos faz ver o invisível, crer no incrível e receber o impossível! Sim, nós, Mães em Contato cremos nesse Deus tremendo e poderoso.

Que, nesse Natal de 2010 e o ano que hora se inicia, voltemos nossos olhos para Belém, adorando o verdadeiro Deus, na pessoa de seu Filho Jesus Cristo, nosso Salvador e Senhor. Que nos demoremos em vê-lo e adorá-lo, à semelhança dos pastores. Que nossa convicção renovada com a visão do “Salvador, que é Cristo, o Senhor”, nos encoraje a continuarmos firmes, corajosas e perseverantes, pois as bênçãos foram inenarráveis, incontáveis!

 “Vamos até Belém”, é um apelo para que renovemos nossa disposição de sermos verdadeiras missionárias onde quer que estejamos, seja qual for a nossa atribuição no Ministério de Mães em Contato, e que cada vez mais fiquemos admiradas, perplexas, atônitas com o Poder que Ele tem.
Sempre unidas por Jesus Cristo, através da...
Fé, Coragem e Perseverança, sou,

Jane Esther

OLHOS DESVENDADOS. VIDA MUDADA!

Prezada irmã Jane Esther, fui criada na Igreja Presbiteriana em Aracaju, SE. Participava das atividades da igreja e ajudava no que fosse necessário, mas nunca fui uma pessoa comprometida com Jesus Cristo.

Quando conheci meu esposo, um jovem temente a Deus, eu estava com 19 anos. Logo depois nos casamos. Eu vivia para os estudos e trabalho. Fiz engenharia agronômica durante 6 anos. Depois, mestrado durante 2 anos e, por fim, fiz o doutorado.  Temos uma filha de 15 anos e um filho de 12 anos. 

Até o dia do incidente narrado mais abaixo, eu dava aulas e gostava de estar na universidade o tempo. Quando chegava em casa passava a maior parte no computador, preparando meus trabalhos e atividades docentes.  Meu esposo, fiel companheiro, sempre me alertava a respeito do meu descaso com meus filhos e com a Igreja. Estava colocando a minha carreira em primeiro lugar. Meus filhos foram sendo criados dentro de um padrão de classe média alta. Tinham tudo que queriam. Por não ter tempo, tudo o que eles pediam eu dava.

Um dia, minha filha chegou de um encontro jovem da Igreja. Eu percebi que ela estava muito abatida, pálida. Cheguei perto dela e perguntei se ela estava sentindo alguma coisa. Ela disse que era para eu não me preocupar, que estava bem. Disse que eu nunca me preocupei com ela e que, agora, não deveria ser diferente.

Sabe, irmã Jane Esther, eu não parava para conversar com meus filhos. Esta tarefa, quase sempre, era de meu esposo ou da empregada. Meu relacionamento com eles era importante. Mas o trabalho era prioritário e consumia muito meu tempo. Naquele dia, foi diferente. Meu coração apertou. 

Na hora do jantar, minha filha não desceu. Fui ao seu quarto e ela estava desmaiada. Imediatamente, meu esposo e eu fomos para o hospital. Lá foram feitos alguns exames e foi diagnosticado um coágulo em seu cérebro, devido a algum trauma que ela havia sofrido. Minha rotina mudou. Numa fração se segundo, a vida de minha filha estava por um fio. Ela  entrou em coma.  Os médicos estavam fazendo de tudo para salva-la, fazendo o que podia para não deixar nenhuma sequela. Minha vida mudou completamente!

Em minha igreja tinha um grupo de oração de “Mães em Contato” que fora implantado pelas irmãs da igreja Metodista.  Muitas vezes fui convida a participar, mas não queria assumir responsabilidade. Olha irmã Jane, procurei a Líder do Grupo, que já sabia o que estava acontecendo com minha filha e começamos uma batalha de oração pela vida dela.  Durante o tempo que ficou hospitalizada,  busquei o Autor da Minha Fé - Jesus Cristo – Aquele, com Quem eu não estava comprometida. Ele me sustentou, me deu paz e, depois de algumas semanas, minha filha foi operada.  Hoje Ela está bem e não teve nenhuma sequela.

Participo do Ministério de Mães em Contato há 2 anos. Hoje eu posso dizer que eu “Creio no Poder da Oração!”

Hoje, não abro mão de Jesus Cristo, da minha família e da minha igreja. Elas são as minhas prioridades. Tudo mais vem depois.

Maria Eduarda Gomes Albuquerque
Aracaju, SE

(Este testemunho foi publicado com autorização expressa da mãe em Contato. Os nomes são omitidos para preservar o sigilo dos filhos.)

OBRIGADA MÃE EM CONTATO - DIA MUNDIAL DE ORAÇÃO PELAS ESCOLAS DE NOSSOS FILHOS


Queremos agradecer a todas as Mães em Contato, às igrejas e aos pastores que participaram do DIA MUNDIAL DE ORAÇÃO PELAS ESCOLAS DE NOSSOS FILHOS, realizado no dia 19 de setembro de 2010. Este foi o primeiro ano em que separamos um tempo em nossas igrejas, em todo o mundo, para orar pelas escolas de nossos filhos. Recebemos e-mails e cartas de várias partes do Brasil. As Mães em Contato relatam que os alunos, os professores, diretores e funcionários das escolas, agradecem a Sede do Ministério Internacional de “Moms In Touch”, na Califórnia, pela iniciativa de criar este Dia tão especial! Foi uma experiência maravilhosa!


Vejamos alguns depoimentos:


Belo Horizonte - MG
"Foi uma manhã maravilhosa e especial. Tivemos a presença de funcionários, professores, estudantes e de várias escolas que estavam próximas a nossa igreja. Foi encorajador saber que o nosso pastor é um guerreiro de oração. Criamos mais dois Grupos de Mães em Contato. Cremos que, através desse evento, muitos corações foram tocados e encorajados a orar por seus filhos!"
Francisca Torres Menezes.

Dourados, MS
"O pastor ficou muito feliz e cedeu ao nosso Grupo de Mães em Contato, um momento especial para orarmos pelo Dia Mundial de Oração pelas Escolas de Nossos Filhos. Convidamos todos os professores, diretores e funcionários de escolas presentes, que viessem à frente para orar. Foi um momento de muita emoção! Devido a isso, 7 professoras que não faziam parte do Ministério, fizeram suas Fichas de Matrícula e Compromisso!
Celina lima Moraes                                                                                            

Rio de Janeiro, RJ
“O que dizer de uma iniciativa tão impactante? Nossa igreja viveu um momento de profunda comunhão e gratidão. Ano que vem, estaremos dando total ênfase ao Dia Mundial de Oração pelas Escolas de Nossos Filhos. Parabéns pela iniciativa!"
Fernanda Monteiro Soares

Recife, PE
"O nosso pastor ficou muito feliz e disse que podemos contar com ele para o próximo ano.”
Maria Tereza Martins

João Pessoa, PB
"Foi realmente maravilhoso. Aqueceu meu coração! A congregação foi muito receptiva. Obrigado, Mães em Contato. Uma iniciativa gloriosa!
Valéria Marques Sobrinho

Porto Alegre, RS
"Foi um momento para conscientizar nossa igreja. Alguns dos professores e funcionários, não conheciam a Jesus Cristo e, devido ao momento de oração, tiveram a oportunidade de saber que estamos orando por eles. Obrigada por essa iniciativa!
Judite Nascimento Torres da Costa

Altamira, PA
"Foi maravilhosa experiência. Meu pastor, no momento especial de oração, pediu que toda igreja se ajoelhasse e orasse por nossos filhos, escolas, professores, diretores e funcionários. Estou ansiosa pelo o próximo ano. Sou muito feliz por fazer parte de um Ministério tão importante como Mães em Contato no Brasil!.Obrigada!”
Fátima Queiroz Souza

Manaus, AM
"Acho que estamos no começo de algo novo na vida de oração da nossa igreja."
Cristiane Siqueira Lima

Florianópolis, SC
“Obrigada por este privilégio de podemos mostrar, publicamente, o compromisso que temos de orar pelas escolas de nossos filhos e que há poder na oração!”
Gabriela Marins Goulart

Além do Brasil e Estados Unidos, vários outros países participaram, tais como: Uganda, China, Grécia, Ruanda, Noruega, Canadá, Grã-Bretanha, Camarões, Suécia, Irlanda, Inglaterra, Suíça, Paquistão, Filipinas, Cingapura, Quênia, Holanda, Itália e Costa Rica.

Vejamos alguns depoimentos de outros países:

Estados Unidos
"Que grande privilégio e responsabilidade temos, como Igreja, de orar por homens e mulheres piedosos. É fundamental que os apoiemos em oração, São professores, diretores e funcionários que, diariamente, interagem com nossos filhos. Orar por nossas Escolas, neste domingo é uma oportunidade incrível."

Paquistão
"As mães nunca tinham orado assim por seus filhos. Precisamos de oração para o futuro de nossas crianças, especialmente no Paquistão."

Suíça
"Foi um curto período de tempo de oração mas, muito poderoso. Nós também cantamos uma música especialmente para abençoar as escolas. Obrigado, Jesus, por este momento tão maravilhoso!"


“A FÉ vê o invisível. A FÉ crê no incrível. A FÉ recebe o impossível!” (Dr. Phillip Harris)
Sempre unidas por Jesus Cristo, através da... Fé, Coragem e Perseverança, sou,
 Jane Esther

FÉ - CORAGEM - PERSEVERANÇA!

 “Derrama o teu coração como água diante do Senhor; levanta a Ele as tuas mãos, pela a vida de teus filhos.”  (Lamentações 2.19)
  
Muitas foram às bênçãos recebidas em 2010! Queremos agradecer a Deus por sua vida. Vida no altar, vida santificada, vida doada para o nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo!

Meus votos são para que, o Ano de 2011 seja a continuação e a consolidação de tudo o que fizemos e temos feito para a vida de nossos filhos, netos, bisnetos - biológicos, adotivos, afetivos e espirituais.

Que seja um ano propício para revermos nossas ações e visões, os nossos conceitos, as nossas posições e atitudes mediante o nosso compromisso com Deus e com nossos filhos, através do Ministério de Mães em Contato.

 Um ano magnânimo em transformações e renovações para o bem de todos. Muitas são as situações difíceis de muitas de nossas "Mães em Contato". Elas prosseguem firmes e estão batalhando dia após dia. Que exemplo tremendo de FÉ - CORAGEM - PERSEVERANÇA!

Que este ano seja riquíssimo em oportunidades para prestarmos atenção nos nossos filhos - suas diferenças, carências, limitações, necessidades.

Que seja um ano de cura dos males que rodeiam nossos filhos - físicos, emocionais, afetivos e espirituais.

Que seja um ano fértil para buscarmos, com afinco: discernimento, sabedoria e humildade.

Nossa meta é sermos somente servas nas mãos do Nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo.

Que tenhamos solidariedade com aqueles que nos cercam, principalmente, os domésticos da fé!

Que seja um período onde imperem a alegria e excelentes realizações; um ano marcado, cotidianamente, pelo nosso efetivo exercício do AMOR, através do Ministério que Deus nos deu: MÃES EM CONTATO.

Que tenhamos um coração despreendido para que no mês de maio de 2011, expressemos  gratidão, através de nossa OFERTA ANUAL DE AMOR para ajudar no sustento do nosso Ministério no BRASIL.

Enfim, um ano fecundo para alcançarmos os nossos objetivos, as nossas metas. Um ano pleno de oportunidades para o crescimento e para o aperfeiçoamento de MÃES EM CONTATO NO BRASIL.

Tantas coisas a fazer e precisamos cada vez mais da sua participação. Pois no dizer no Dr. Phillip Harris: A FÉ, VÊ O INVISÍVEL, CRÊ NO INCRÍVEL E RECEBE O IMPOSSÍVEL!

Cremos no poder da oração!
A nossa arma é a oração!

Todo Filho Precisa de uma Mãe que Ora!

Sempre unidas por Cristo, através da...
Fé - Coragem - Perseverança, sou,
                      
                            Jane Esther

NEM TUDO QUE RELUZ É OURO!

Prezada irmã Jane Esther,

Antes de escrever este testemunho, fiquei pensando se realmente deveria fazê-lo, mas, uma noite, depois de ficar sem dormir, pensando em minha família e em tudo que aconteceu, Deus falou ao meu coração, e, então resolvi escrever para a irmã, abrindo o meu coração e autorizando esta publicação, sendo que não gostaria que o que está grifado em vermelho, fosse publicado. Conto com a sua compreensão.

Uma das maiores alegrias que recebi do Senhor Jesus Cristo, foi o privilégio de conhecer através da Revista Visão Missionária (recebi de presente de minha tia que pertence a igreja Batista) o PROMI - Projeto Mulheres Intercessoras e também o Ministério de Oração de Mães em Contato. Foi através do testemunho daquela mãe, cujo filho estava envolvido com drogas e que foi alcançado por Jesus, que meu coração transbordou. Na mesma semana entrei em contato com a irmã, para receber as informações necessárias, pois não conseguia mais, somente orar pelos meus filhos.... Eu queria mais... Para mim não tinha bênção maior do que colocar meus filhos no altar, junto com minhas companheiras de oração, uma vez por semana e sermos testemunhas da atuação de Deus na vida deles... Quantas bênçãos, irmã Jane Esther... Coordeno 4 Grupos de Mães. Estou escrevendo e chorando de tanta alegria. Essa emoção não tem preço.

Somos uma família muita ativa na igreja, meus filhos (4 filhos: 2 meninos (9 e 12 anos); 2 meninas (13 e 16 anos) estão bem adaptados, ativos em suas respectivas faixas etárias. Meu marido, um servo de Deus profundamente comprometido com Deus, a família e o ministério.

Nos últimos 3 anos, por ocasião das férias das crianças e do verão, sempre recebemos o convite de uma família da nossa igreja, para passarmos um final de semana em sua casa de praia, o que com prazer aceitamos. É uma família muito querida é integrada na igreja. Nossos filhos são muito amigos e, freqüentemente, estamos juntos.

No 4º ano, como de praxe, fomos. Estávamos felizes com a possibilidade de descansarmos um pouco, visto que, o ano fora muito desgastante.

Pedi a minhas companheiras de Grupo de Mães em Contato que, durante a semana, orassem por meus filhos nessa viagem e, também, pela estadia na casa de praia. Mesmo indo todos os anos, sempre ficava preocupada com a piscina, com o mar, etc....

Minha filha mais velha relutou muito para ir, mas, no fim, acabou cedendo. Saímos na sexta-feira, sabendo que ficaríamos uma semana. Desde que chegamos, senti minha filha muito grudada conosco, arredia, fechada, mas...

Ela sempre entrava no mar com os irmãos. Quando íamos para piscina ficava perto de mim.

Sabe, irmã Jane Esther, minha filha é uma menina muito bonita. Chama muito a atenção. Temos muito amor por ela, pois além de ser muito meiga, delicada, estudiosa, centrada, é temente a Deus e comprometida com a obra do Senhor. Os dias passaram rápidos e muito gostosos.

No sábado, pela manhã, bem cedo, fui ao banheiro e a porta estava trancada. A luz estava acessa. Esperei um pouco e voltei para o quatro. Passada uma meia hora, voltei e novamente a porta estava trancada e a luz acessa. Perguntei baixinho se tinha alguém passando mal e, ouvi a voz de minha filha. Ela estava chorando... Pedi que abrisse a porta e depois de muito relutar, ela abriu.... Estava trêmula e pálida... Eu a levei para o quarto... Foi então que me deparei com uma situação extremamente revoltante. Minha filha me fez prometer que o que ela iria me falar, eu não poderia dizer para meu esposo, até voltar para casa. Eu prometi!

Foi então que ela começou a relatar algo que eu não queria saber, nem ouvir...Ela me disse que a pessoa que nos fez o convite para irmos a casa de praia, vinha cercando ela na igreja algumas vezes e jogando indiretas, mas como ela não queria causar problemas e sabia da amizade do pai com ele, preferiu ficar calada.Por isso que ela relutou em vir para passar a semana.

Mas que, na noite anterior, o homem entrou no quarto dela, onde dormia as meninas, colocou a mão em sua boca para ela não gritar  e tentou ... mas, ela deu uma joelhada, deu vários pontapés nele e saiu correndo para o banheiro onde permaneceu até de manhã. Ela disse que ele nunca tinha feito aquilo antes. Ela estava apavorada...

Naquele mesmo dia, conversei com meu esposo, sobre a possibilidade de voltarmos após o almoço. Ele não criou obstáculos e voltamos.

Naquela mesma semana conversei com meu esposo sobre o que tinha acontecido. Ele ficou tremendamente abatido e triste, por desconhecer o caráter de alguém que convivia com ele há tanto tempo.

Resolvermos ir ao Pastor para nos aconselhar e pedir orientação sobre como agir. Ele disse que não compartilhássemos isso com ninguém. Era para orarmos e entregarmos tudo nas mãos de Deus.

Durante todas as reuniões semanais de nosso Grupo de Mães em Contato, eu sempre colocava, em silêncio, minha filha no altar para que Deus resolvesse aquela situação da melhor maneira possível para que não houvesse um escândalo, pois seria terrível para todos e para o evangelho.

A família dele não sabe de nada até hoje, nem nossos filhos. Depois de vinte sete dias, Ele sofreu um acidente de carro e veio a falecer. A igreja sofreu muito, afinal é compreensível, pois não sabia de nada. Esse assunto foi enterrado com ele.

Minha filha está bem. O trauma passou. Ela continua integrada na igreja.

Prezada irmã Jane Esther, o motivo desse testemunho é para alertar nossas irmãs para que tenham cuidado com seus filhos. O inimigo pode estar dormindo dentro da nossa casa.

Mãe em Contato – Curitiba,PR

(Este testemunho foi publicado com autorização expressa da mãe em Contato. Os nomes são omitidos para preservar o sigilo dos filhos.)

MÃES EM CONTATO MUDOU A MINHA VIDA!


Prezada irmã Jane Esther agradeço a Deus pela sua vida, pela sua ajuda e também por “Mães em Contato” ter mudado o foco da minha vida com relação à oração! Eu não ligava muito para orar. Não entendia o que era “Crer no Poder da Oração” e muito menos que a “Nossa arma é a oração”!

Conheci o trabalho de “Mães em Contato”, pela internet, através do site: www.momsintouch.org e, através dele, cheguei à irmã. Que alegria, que felicidade poder compartilhar esse meu testemunho, para outras mães depois de ter recebido todo auxílio do meu Deus e a sua destra de companhia.

Meu filho de 15 anos foi criado na igreja, participando da EBD, de EBF, cantava no grupo de louvor, enfim, era um filho que toda mãe gostaria de ter. No mês de maio do ano passado, comecei a observar que ele, estava muito agressivo em casa. Fui até a escola onde ele estudava para dar uma incerta, e quando cheguei lá, encontrei-o com mais dois meninos usando drogas injetáveis. Eu quase morri! Não podia acreditar no que estava vento, mas, estava vendo! Senti uma forte dor no meu coração, a respiração faltou... Eu, uma professora de nível superior, esclarecida, que achava que sabia de tudo, vendo meu filho numa situação daquela... Fiquei perplexa! Atordoada! Meu mundo ruiu!   Desabei!   Ele não me viu, pois saí imediatamente. Após me refazer, procurei a direção da escola e conversei com diretora. Disse o que estava acontecendo. Ela ficou de tomar providências!

Conforme sua orientação, irmã Jane Esther, comecei minha jornada. Voltei à escola onde meu filho estudava, juntamente com meu grupo e, conversamos com a diretora sobre o nosso Ministério de oração e como funcionava.

Ela, não era evangélica, mas nos atendeu com muita atenção. Aceitou que orássemos pela escola e nos cedeu o nome de todos os professores, número de alunos, quais eram os maiores problemas que escola enfrentava, enfim, abriu a porta para nosso grupo.

Toda terça-feira, eu e mais 3 (três) mães, nos reuníamos em minha casa, às 14h para orar. Seguíamos os princípios do Ministério de “Mães em Contato” dando total ênfase aos 4 passos para oração. (Adoração, Confissão, Ação de Graças e Intercessão). Comecei a compreender o que era entregar meu filho nas mãos de Deus e deixá-LO cuidar dele. Foram meses e meses, orando por ele, seus dois “amigos”, sua escola, seus professores, a direção e todas as demais pessoas que estavam perto dele. Ele é o meu único filho.

Minhas companheiras de oração, também estavam passando por lutas, com seus problemas, mas, com os corações enternecidos pela minha luta. Elas também adotaram as escolas de seus filhos e tudo mais... Sabíamos que não era por força, nem por violência, mas “pelo espírito de Deus”. Eu sabia que Deus iria operar um milagre!

Meu filho, muitos domingos, só ia à igreja à noite, e, na maioria das vezes, contra a vontade e revoltado. No mês de dezembro, ele fora reprovado na escola. Não quis participar de nada na igreja. Começou a achar os colegas da igreja, “caretas”, atrasados, ridículo.

Meu esposo, muito angustiado, procurava agir sob a orientação de Deus. Ele dava o suporte necessário para o filho, mesmo sabendo do envolvimento dele com as drogas. Quando ele estava “bem”, dizíamos que o amávamos muito, mas que ele estava indo por um caminho sem volta. Ele atendia, mas quando a necessidade de usar drogas se tornava insuportável ele transmudava. Não ouvia ninguém. Não aceitava ir para nenhuma Clinica de Recuperação de Dependentes Químicos. Saía de casa e não sabíamos onde, estava, o que estava fazendo, enfim, um desespero... Duas vezes o colocamos numa Clínica Terapêutica, mas, assim que retornava e encontrava os velhos “amigos”, começava o desespero.

Eu sentia que Deus ia fazer uma obra, pois ele estava procurando uma maneira de se libertar, mas não tinha forças, o vício o dominava. A palavra de Deus diz que quando conhecemos a verdade, Ela nos liberta! A verdade é Jesus! E Jesus liberta! MEU FILHO SERIA LIBERTO DAS DROGAS POR JESUS ATRAVÉS DO PODER DA ORAÇÃO!

Muitas vezes eu falava com meu filho para que convidasse seus amigos para irem à igreja com ele, mas, nada acontecia. Eu não perdia a esperança! No mês de agosto desse ano de 2009, na hora que eu e meu esposo estávamos saindo para a igreja, meu filho disse que iria conosco, como, às vezes, fazia. Quando chegamos à porta da igreja, ele, os dois “colegas" (Arthur, apelidado de mamão e Carlos, apelidado de cacau) e mais outro garoto, (Fábio) entraram e foram para a galeria. Minhas companheiras de oração começaram a orar. Naquela hora, Deus falou a meu coração que um milagre iria acontece. Durante o culto pude observar que eles estavam atentos a tudo que acontecia. Foi uma noite especial. Tudo que aconteceu foi diferente, maravilhoso! Na hora do apelo meu filho e seus dois colegas (Arthur e Carlos) foram a frente e ACEITAM  JESUS CRISTO!

Quando abri meus olhos, vi meu esposo chorando... Olhei para frente,e vi meu filho! Mais do que depressa eu e minhas irmãs “Mães em Contato”, e outras “Mães em Contato” fomos até a frente, juntamente com os jovens da igreja, e os abraçamos. Vimos mover de Deus, sobre vida deles. Hoje são jovens transformados e servindo a Jesus. Obrigada “Mães em Contato”, obrigada minha coordenadora irmã Jane Esther!

EU CREIO NO PODER DA ORAÇÃO!
A NOSSA ARMA É A ORAÇÃO!
TODO FILHO PRECISA DE UMA MÃE QUE ORA!”


 (Testemunho da “Mãe em Contato” Cláudia Fiqueira Martins, 42 anos – Rio de Janeiro, RJ – BRASIL).

“A fé vê o invisível, crê no incrível e recebe o impossível”. 
(Dr. Philip Harris)




DIA MUNDIAL DE ORAÇÃO PELAS ESCOLAS DE NOSSOS FILHOS!

Prezada Mãe em Contato!

             “Derrama o teu coração como água diante do Senhor;  levanta a Ele as tuas mãos, pela a vida de teus filhos.” (Lamentações 2.19)

Estamos felizes em anunciar que 19 de setembro de 2010, será o primeiro ano em que separaremos um tempo em nossas igrejas, em todo o mundo, para orar pelas escolas de nossos filhos.

A cada ano, no TERCEIRO DOMINGO DE SETEMBRO, os pastores, educadores, professores, administradores, funcionários, e alunos prestarão um culto de adoração ao nosso Deus.

Será um dia especial para nossos filhos e suas escolas, professores, diretores, funcionários.

Em cada país, essa data é diferente, com se pode ver nos países abaixo, onde o Ministério de Mães em Contato já se faz presente:

  • Brasil - 15 de outubro
  • Índia - 5 de setembro
  • Malásia - 16 de maio
  • Turquia - 24 de novembro
  • Albânia - 7 de março
  • China - 10 de setembro.
  • República Tcheca - 28 de março
  • Irã - 2 de maio
  • América Latina - 11 de setembro
  • México -15 de maio
  • Peru -6 de julho
  • Polônia - 14 de outubro
  • Rússia - 5 de outubro
  • Cingapura - 1 de setembro
  • Eslováquia - 28 de março
  • Coréia do Sul - 15 de maio
  • Taiwan - 28 de setembro
  • Tailândia - 16 de janeiro
  • Estados Unidos da América - terça-feira da primeira semana de maio
  • Vietnã - 20 de novembro
Por isso, nossa sede de Moms In Touch Internacional na Califórnia estipulou o TERCEIRO DOMINGO DE SETEMBRO.

Conversemos com os nossos pastores, líderes, sobre esse culto especial de oração pelas nossas Escolas. As Escolas de nossos filhos!

Imaginemos o impacto que este momento de oração terá sobre a vida de nossos filhos, professores, funcionários e diretores!

Contamos com cada Mãe em Contato. Será um domingo abençoado. Através da nossa FÉ, CORAGEM e PERSEVERANÇA, faremos grandes coisas para o Reino de Deus. São fronteiras que estão sendo alargadas e precisamos fincar as estacas. Cada vez mais sua participação é imprescindível! “Clama a mim e responder-te-ei e anunciar-te-ei coisas grandes e ocultas que não sabeis” (Jeremias 33.3)

No dizer no Dr. Phillip Harris: “A vê o invisível. A crê no incrível. A recebe o impossível!”

Cremos no poder da oração! A nossa arma é a oração!

Todo Filho Precisa de uma Mãe que Ora!
 Sempre unidas por Jesus Cristo, através da...
 Fé - Coragem - Perseverança,
sou,

Jane Esther

EU PENSEI QUE ESTAVA TUDO SOB CONTROLE!

“Prezada irmã Jane Esther, conheci o Ministério de Mães em Contato através de minha cunhada que mora em São Paulo. Comecei um grupo em minha casa, com mais duas mães. O trabalho foi crescendo. Hoje, lidero 3 grupos. Participar e liderar o Ministério de Mães em Contato foi e tem sido uma das maiores bênçãos recebidas do Senhor Jesus! Através dele alcancei forças para passar pelo que eu nunca poderia imaginar que viesse a passar. Minhas companheiras de oração foram incansáveis, dando-me todo o suporte necessário!

Minha família sempre foi integrada na Igreja.  Tenho 3 filhos. Um com 14, uma com 19 e outra com 22 anos, que são motivos de oração constantes. A cada semana, em nossa reunião de “Mães em Contato”, seus nomes são colocados, um de cada vez, bem como suas escolas. Meus filhos são bênçãos de Deus para mim!

Tudo começou quando minha filha do meio terminou o ensino médio. Começou fazer o Curso preparatório para o Vestibular. Iria prestar exame para a Faculdade de Direito. Era muito estudiosa. Fez as provas e passou. Nós ficamos muito felizes, pois achávamos muito difícil ela conseguir. Nossa filha estava com 17 anos, iria completar 18 anos em junho. Veio a matrícula na Universidade. Logo, conheceu seus colegas, e começou a entrar num universo totalmente desconhecido. Participou do trote, uma preocupação para nós! Começou os estudos. Logo apareceram as amizades. Passou a colocar a Igreja em segundo plano: faltava o ensaio na equipe de louvor; não ia mais a Escola Bíblica, pois estava sempre muito cansada, etc.

Eu e meu esposo começamos a sentir que alguma coisa não estava indo tão bem assim como pensávamos. Nossa filha estava mudando rápido demais.  Estávamos em casa no domingo, na parte da tarde, e ela nos disse  que sua turma iria fazer um “lual” na sexta-feira seguinte e que ela gostaria muito de participar, citando o nome de dois colegas, que também iriam. Disse que depois iria para a casa de uma das colegas. Nós dissemos que pensaríamos no assunto, pois achávamos perigoso! Ela saiu rindo de nós! 

Naquela semana coloquei o nome de minha filha no altar do meu grupo de “Mães em Contato”. Expliquei a situação para as irmãs! Meu coração estava aflito. Minha alma estava angustiada. Chegou sexta-feira e, logo cedo, ela perguntou se estava tudo certo. Nós dissemos que sim e aconselhamos que tomasse muito cuidado. Que não deixasse o copo com resto de refrigerante e saísse de perto, e depois tomasse, que não aceitasse balas, que não ficasse longe de suas colegas, enfim, muitas recomendações. Ela riu novamente e saiu. Ficamos muito preocupados!
No sábado, ela não ligou, nem apareceu. Ligamos para sua colega, que  nos informou que saíra antes de tudo terminar, pois estava muito cansada. Disse que deixara nossa filha bem. Começamos a ligar para algumas pessoas que conhecíamos e... Nada!  Que aflição! Telefonei para minhas irmãs do Grupo de oração de Mães em Contato e pedi que orassem. Meu esposo ligou para o pastor e contou o que ocorrera. Começamos a ficar desesperados.

Quando foi 2h da madrugada de domingo, soubemos que nossa filha estava no hospital. Fomos para lá. Ela estava no CTI, correndo risco de morte.  Segundo o médico, ela chegou ao hospital, desacordada, trazida por dois jovens que não quiseram se identificar. Minha filha tinha sofrido uma overdose. Ela misturou álcool com droga e, por isso entrou em coma.

Começamos a clamar a Deus pela vida dela. Não estávamos preparados para perdê-la. Nosso grupo de “Mães em Contato”, nossa igreja e pessoas amigas, todos, pedíamos a Deus pela vida dela. Durante 14 dias, ela permaneceu no CTI. Passados estes dias cruciantes, seus sinais vitais foram melhorando, até que voltou do coma!

Durante sua recuperação, ela nos disse que no “lual”, lhe ofereceram um refrigerante e, depois, um coquetel de frutas. Ela nos disse também que deu uma saída e, que quando voltou, tomou o restante do coquetel. O que aconteceu em seguida, não soube mais.

Minha filha ficou traumatizada. Trancamos a matricula dela. Seu estado não permitia que estudasse, pois ficou muito debilitada!  Ela pediu perdão, pois não nos ouviu. Algumas semanas depois, chegou o dia de seu aniversário de 18 anos. Enfim, ela estava novamente conosco, agora, totalmente mudada! Um semestre depois ela retornou aos estudos na Faculdade e, em 2011, estará concluindo o Curso de Direito.

Prezada irmã Jane Esther, muitas vezes pensamos que nossos filhos, por estarem dentro da igreja, sendo criados no evangelho, estão preparados para enfrentar o mundo. Puro engano!” O MUNDO É CRUEL!


Muito obrigada pela atenção, pelo carinho, por ouvir o meu relato e por orar também por mim! Que Deus a recompense!

Mãe em Contato - Belo Horizonte, MG

 (Este testemunho foi publicado com autorização expressa da mãe em Contato. Os nomes são omitidos para preservar o sigilo dos filhos.)

TUDO COMEÇA COM VOCÊ!

Agradeço a Deus pela sua vida e por você estar lendo essa página. Espero que seja sensível e obediente ao chamado do Espírito Santo!

O Ministério de "Mães em Contato" é um programa de oração específico e diferente de todos os projetos semelhante existentes no mundo. Tem sido bênção na vida de milhares de mães no Brasil e em mais de 140 países. O que Deus tem feito, através da vida das “Mães em Contato”, é impressionante! A base do Ministério são as escolas dos nossos filhos.
Foi assim que tudo começou no mundo... Em 1984, no outono, na cidade de Bristish Columbia, Canadá, a senhora Fern Nichols, com os filhos entrando na adolescência, sentiu a necessidade de orar por eles. Pediu a Deus que lhe desse uma companheira de oração, que tivesse a mesma preocupação em relação aos filhos. Deus lhe deu Linda Driedeger. Na semana seguinte, aconteceu a primeira reunião de oração.

Assim surgiu, em 1984, “Moms in Touch International”, (Mães em contato Internacional), um ministério de oração. Sim, mães que estariam em contato permanente com Deus, unidas, orando por seus filhos, colegas, escolas, professores funcionários, diretores e todas as demais pessoas que fizessem parte do mundo deles. Em 2009, celebramos os 25 anos de trabalho no mundo.

Foi assim que tudo começou no Brasil... Em 1994, a Profa. Heloiza Helena Ribeiro de Amorim Pimentel, morando no Rio de Janeiro, RJ foi visitar sua filha Laura Helena Pimentel Ogi, que mora na Suíça, e conheceu o Ministério de “Mães em Contato”, ficando impressionada. Heloiza trouxe o trabalho para o Brasil. Pediu a Deus que lhe desse uma companheira de oração, que tivesse a mesma preocupação em relação a seus filhos e netos.

Assim, surgiu em 1994, “Mães em Contato” no Brasil, o braço Nacional de Moms in Touch International. Em 5 de fevereiro de 2009, a Profa. Jane Esther Monteiro de Souza de Paula Rosa foi convidada pela Profa. Heloiza Helena Pimentel para dar continuidade ao trabalho, e no dia 4 de março foi empossada no cargo pela representante de Moms in Touch International, Maria Tereza Canha e sendo o seu nome homologado pelas irmãs da Sede de Moms in Touch International, Marlae Gritter, na Califórnia, Sally Burke, Kathleen Wendeln. Hoje estamos presentes nos 27 estados do Brasil. Em 2009, celebramos 15 anos do trabalho no Brasil.

É assim que tudo começa com você... Tudo começa com uma “Mãe Intercessora Individual”, que pode ser você! Mãe que vai orar por seus filhos, ou netos, ou bisnetos, consangüíneos, adotivos, afetivos ou espirituais. Mãe que pede a Deus outra companheira de oração e, assim, começam, juntas em grupos de, no máximo quatro mães, a orar pelos seus filhos, colegas, escolas, professores, funcionários, diretores e todas as demais pessoas que fazem parte do mundo deles. 

Então, começa a ação do Espírito Santo. São vidas no altar, vidas santificadas, vidas que crêem no poder da oração. Vidas que, no dizer do Dr. Philip Harris, tem a espécie de fé que “vêm o invisível, crê no incrível e recebe o impossível”.

Fern Nichols, Linda Driedeger, Marlae Gritter, Kathy Gayheart, Karen Isenhower, Sally Burke, Kathleen Wendeln, Maria Tereza Canha, Gloria Banzhaf, Heloiza Helena Pimentel, Dalva Pinto da Silva, Berenice Bezerra, Maria de Lourdes Matos, Nelcy Rodrigues, Suely Campista, Cláudia Farias, Sirlei Mendonça Campos, Sara Couto, Dulce Monteiro de Souza, Eunice Renovato, Iza Braga, Jacyra Maciel, Cristiane Carvalho, Helga Kepler Fanini, Norma Couto, Olga, Eva, Severina, Rubenita Martins, Idenir, Solange, Valéria Teixeira, Isaura Maria Cabral, Raquel, Rita, Neuza Briony, Márcia, Maria, Miriam, Suzana, Sônia, Jane Esther... E muitas... Muitas outras mães creram!


Da esquerda para a direita: Jane Esther M. S. de Paula Rosa , Maria Teresa Canha (Mães em Contato - New Jersey, U.S.A), Profa. Heloiza Helena Ribeiro de Amorim Pimentel e Dr.a Laura Helena Pimentel Ogi (Mães em Contato na Suíça)


O Ministério de “Mães em Contato Internacional” que, em 1984, atravessou as fronteiras do Canadá e Estados Unidos, já é, em nossos dias, realidade em mais de 130 países. E, o mais importante, está na janela 10/40, onde se concentram quase 3 bilhões de pessoas, conhecidas como “povos não alcançados”, onde a Palavra de Deus é proibida ou restrita. Ali, o Cristianismo se faz presente através de mães reunidas nas casas, orando por seus filhos e escolas. Isso é tremendo! Há Poder na Oração! A nossa arma é a Oração! Então, vamos orar!
 Jane Esther M. S. de Paula Rosa , Maria Teresa Canha 
A participação no "Ministério de Mães em Contato" pode ser a nível de "Mãe Intercessora Individual", até encontrar outra companheira de oração, "Membro de um Grupo", "Líder de um ou mais grupos” ou, finalmente, sendo "Coordenadora de Líderes  de Grupos". Seja qual for a posição em que estiver agora, a irmã é resposta de oração de alguém que pediu mais uma companheira de oração a Deus. Glorifique o nome de Deus, pois, a irmã também já é, ou pode ser, uma "Agente de Oração" da “Rede Mundial de Oração” de “Mães em Contato”! Assuma o seu lugar! Ore!

É assim que tudo começa...
Começa com uma “Mãe Intercessora Individual”...
Começa com VOCÊ!

Servindo a Ele, Juntas,
Jane Esther